Artigo

A representação do imigrante judeu na literatura pós-moderna rio-grandense

Rosane Marcia Neumann

      https://orcid.org/0000-0001-5203-5086

Gláucia Elisa Zinani Rodrigues

      https://orcid.org/0000-0002-2785-2196

 

Resumo:

O artigo trata da representação do imigrante judeu na literatura rio-grandense pós-moderna, situando-se na fronteira entre a Literatura e a História. Estuda-se a temática nas obras Cágada, de Mársico, publicada em 1974, que tem como cenário a Fazenda Quatro Irmãos, em Erechim, norte do Rio Grande do Sul; e a obra O exército de um homem só, de Scliar, publicada em 1973, ambientada no bairro Bom Fim, em Porto Alegre. Compara-se nas obras, respectivamente, a representação dos personagens judeus por verossimilhança entre ficção e realidade: Mister Glupp/Isidoro Eisenberg, o diretor da colônia; e Mayer Ginzburg/Henrique Scliar, o idealista. O imigrante judeu é representado de forma marginal na literatura, ora por meio da sátira, ora pela ironia. Contudo, ambas narrativas buscam descontruir estereótipos consagrados da trajetória migratória desse grupo, ao desnudar aspectos de seu cotidiano, conflitos, as relações interétnicas.

Palavras-chave:

Imigração judaica, Representação, Cágada, O exército de um homem só.

Edição:

v. 3, n. 2. 2019

Data de publicação:

11 de janeiro de 2020

Dossiê: História Intelectual e Literatura

licence.png

Esta revista está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 International.

  • Facebook

Indexadores, Diretórios e Portais

Latindex
Sumários
Google Academico1.png
diadorim1.png
doaj2.jpg