Artigo

A categoria marxista do capitalismo burocrático: Uma tese na explicação da realidade do subdesenvolvimento e do atraso social

Franciel Coelho Luz de Amorim

Resumo: 

O artigo apresenta concepções práticas e teóricas sobre a tese marxista do capitalismo burocrático e suas contribuições para o entendimento do subdesenvolvimento e do atraso social, na realidade do dito “terceiro mundo” (países atrasados). Pelo método da pesquisa bibliográfica, partindo da abordagem dialética-materialista, realizamos uma revisão de literatura nos conceitos de capitalismo burocrático, semifeudalidade e imperialismo, assim quanto a sua aplicabilidade teórica-metodológica. Para tanto, efetuamos uma explanação da semifeudalidade – revestida pelo conceito de semiservidão – a partir dos exemplos da Alemanha de Engels (1978; 2010) de finais do século XIX e com o da Rússia de Lênin (1982) no processo de transição ao capitalismo. Assim, também colocamos, pelas formulações de Mariátegui (2010), a interpretação de que a grande propriedade agrária nos países sul-americanos determinou toda a estrutura política e social, a partir do conceito de gamonalismo. Por fim, evidenciamos, nas caracterizações de Martín Martín (2007a; 2007b; 2007c), os principais aspectos científicos da teoria do capitalismo burocrático, especialmente, pela importância da questão agrária e camponesa no contexto da história contemporânea.

Edição:

v. 1, n. 1. 2017

Tema Livre

Seção: Artigos

Palavras-chave: 

Capitalismo burocrático, Imperialismo, Semifeudalidade.

licence.png

Esta revista está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 International.

  • Facebook

Indexadores, Diretórios e Portais

Latindex
Sumários
Google Academico1.png
diadorim1.png