Artigo

Mulheres operárias nos tribunais do trabalho: a luta por direitos das tecelãs em Juiz de Fora (Década de 1950)

Alessandra Belo Assis Silva

Resumo: 

O objetivo deste artigo é analisar a luta por direitos de operárias têxteis na Justiça do Trabalho por meio do estudo dos dissídios individuais impetrados por elas na Junta de Conciliação e Julgamento de Juiz de Fora (JCJJF) na década de 1950. Essas ações trabalhistas têm como temática a questão das suspensões disciplinares sofridas por essas mulheres. Tal dispositivo, utilizado largamente pelos patrões e seus hierárquicos diretos como mestres e contramestres, acarretava prejuízo financeiro e “simbólico” para essas operárias, na medida em que experimentavam ofensas por parte dos patrões e seus representantes além de sofrerem com os descontos salariais. Pretende-se demonstrar que os discursos incitados pelos prepostos das empresas eram pautados tanto pelo autoritarismo como pela discriminação moral e comportamental com o intuito de justificar as penas disciplinares impostas a essas mulheres. Essa articulação, por sua vez, sugere a presença de alguns enquadramentos de gênero.

Edição:

v. 3, n. 1. 2019

Data de publicação:

23 de agosto de 2019

Tema Livre

Seção: Artigos

Palavras-chave: 

Mulheres operárias, Trabalhadores têxteis, Direitos Trabalhistas, Justiça do Trabalho.

licence.png

Esta revista está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 International.

  • Facebook

Indexadores, Diretórios e Portais

Latindex
Sumários
Google Academico1.png
diadorim1.png