pena.png

Artigo

Yo me morí en La Perla: do julgamento de lesa-humanidade ao perdão de si na escritura historiográfica de Eduardo Galeano

Heloisa Helena Ribeiro de Miranda

orcid.png

Resumo: 

Paul Ricoeur em A história, a memória, o esquecimento (2014) realiza uma profunda reflexão sobre como o ato da falta lança o foco da memória de si que é o lugar da lembrança composta de sentimento de culpa. Buscando compreender a profundeza da falta e a altura do perdão, o filósofo afirma que, por ter acesso ilimitado a lembrança, o agente da falta pode transformar a memória-lembrança em memória-refletida. Sendo assim, é a problemática da falta que a narrativa de Eduardo Galeano põe em questão, devolvendo para o discurso da história as barbáries do regime militar argentino, em seu texto “15 de junio Una mujer cuenta”. Com a análise da narrativa, compreenderemos a ambivalência entre a profundeza da falta e a altura do perdão, nos crimes de lesa-humanidade perpetrados pela Ditatura Civil-Militar argentina.

Edição:

v. 4, n. 2. 2020

Data de publicação:

29 de janeiro de 2021

Dossiê: Memórias de sangue: recordar a violência, escrever a história

Palavras-chave: 

Eduardo Galeano, História, Memória, Esquecimento.